Paciente do HB pede socorro a vizinhos minutos antes de morrer

Notícias - quinta-feira, 01/08/2019 às 11h46min • Atualizado 11h50min
Paciente do HB pede socorro a vizinhos minutos antes de morrer

Um relato de desumanidade e descaso com a paciente Luciene Gomes, internada em trabalho de parto no Hospital de Base Ary Pinheiro, e que veio a óbito, foi denunciado por vizinhos que acompanharam todo o drama da paciente. Os amigos receberem vários áudios e fotos enviados de dentro do hospital com pedidos de socorro. Segundo os vizinhos, ela denunciava que iria morrer, pois os médicos se recusavam a fazer a cesariana que o seu caso exigia.

Após ocorrido, na tarde desta quinta-feira,31, duas vizinhas que acompanharam todo o drama de Luciene, e ainda tentaram intervir para salvar a parturiente, registraram uma ocorrência policial (nº 136037/2019)  relatando: “outros crimes resultantes em morte (Consumado) relevância criminal. Data do fato 30/07/2019, como vítima Luciene Gomes, autor do fato Hospital de Base Ary Pinheiro”.

Maternidade Municipal

Consta no boletim de ocorrência que na quarta-feira,28/7, por volta das 20 horas, a senhora M. M. N. R. acompanhou sua vizinha Luciene Gomes até a Maternidade Municipal Mãe Esperança, pois a mesma já se encontrava em trabalho de parto. Da Maternidade Municipal, ela foi transferida em uma ambulância do Samu para o Centro Obstétrico do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, ao chegar ao Hospital de Base,  Luciene Gomes recebeu atendimento médico e, em seguida, por determinação do especialista, ela teria sido liberada para voltar para sua residência.

Negligência

Na ocorrência policial consta também que as senhoras M. M. e M. I., amigas da paciente, insistiram para que não fosse realizado parto normal, pois a parturiente já tinha apresentado problemas desde o seu primeiro parto, portanto ela precisava ser submetida a um procedimento de cesariana.

Mesmo sendo informados da situação, segundo consta a denuncia feita à polícia, os médicos não deram o devido atendimento e ela veio a óbito.

As duas senhoras afirmaram ainda à policia que imploraram para que fosse dado um melhor atendimento a  Luciene Gomes, pois a mesma estava sofrendo muito. As duas amigas da vítima acreditam que os médicos negligenciaram no atendimento à parturiente, tanto que a mesma veio a óbito.

A família e os vizinhos estão revoltados, pois, de acordo com eles, a morte da grávida foi uma clara negligência médica, uma omissão de socorro dentro do Hospital de Base.

Cesária

De acordo com eles, causou estranheza a atitude dos médicos, pois a paciente já tinha sido transferida da Maternidade Municipal para o Hospital de Base, certamente porque o caso dela era  grave e necessitava de atendimento de urgência. “Todavia, a equipe médica se recusou a fazer a cesariana, o que teria causado a morte da mulher em trabalho de parto”, declarou um dos familiares da vítima.

Fotos/documentos/áudios

Além de documentos e fotos, a paciente enviou de dentro do hospital vários áudios, como os cinco a seguir, em degravação livre, nos quais, em desespero, ela pede ajuda pelo aplicativo Whatsapp às vizinhas, pois ela tinha certeza que os médicos iriam deixá-la morrer sem fazer a cesariana.

Num deles ela diz: “Ah não, vai lá me salvar pelo amor de Deus”. Em outro: “Não dá certo eu fugir daqui não vou conseguir”. E num terceiro áudio: “Eles conseguiram me colocar aqui dentro para me matar”. Em outro ela diz: “Avisaram até lá portaria pra ninguém entrar” e no quinto, ela afirma: “Vizinha ela fazer a denúncia logo porque já tô ficando roxa a minha mão e tô me tremendo todinha já”.

Fonte: Tudo Rondônia


3 Comentários

  1. Luciene disse:

    Misericórdia,como pode tantas maldades no coração das pessoas, enquanto não existir cadeia pra medicos assim o Brasil não muda nunca

  2. Hagata cris disse:

    Os médicos são assim msm..minha sobrinha acaba de passar por isso..foi na maternidade já com nove meses. A BB estava sentada era impossível parto normal.
    Eles enrolando, mandaram ela pra casa é ir todos os dias pela manhã..agora fazer o quê, se ela de nove meses e o BB sentado era óbvio que o caso era internação e Cesário..eu disse pra ela ir no outro dia e dizer que morava no sítio , que ela não podia ficar pra lá e pra cá..ainda sim eles colocando dificuldades para internar..depois de minha cunhada muito insistir eles aceitaram internar minha sobrinha. Enfim ela nasceu, parto Cesário no msm dia, saudável graças a deus. Eu fico indignada com isso..pq eu tbm passei por isso..fui ter minha filha eles mandaram eu ir embora..era dez da noite , eu disse que não, que não iria sair de lá.. 2 da manhã minha filha nasceu, seu tivesse vindo pra casa minha filha ia nascer em casa…pessoal irresponsável, espero que paguem por cada vida que se foi por negligência..

  3. Sinval reckel disse:

    Vejo isso como negligência médica!!! Tem que ser devidamente apurado!!!! Os culpados exemplarmente punidos. Cadeia e perca do registro. Aos familiares entrem com ações judiciais cabíveis!! A sociedade rondoniense espera por respostas do poder público!! Se existem culpados que sejam punidos!!!

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email