Terca-Feira, 25 de Fevereiro de 2020

Conversa aponta recrutamento de comissionados para defender Hildon Chaves

Capital - sábado, 18/01/2020 às 16h24min • Atualizado 16h59min
Conversa aponta recrutamento de comissionados para defender Hildon Chaves
Conversa aponta recrutamento de comissionados para defender Hildon Chaves

Uma situação no mínimo curiosa foi registrada pelas redes sociais nesta semana em Porto Velho. Uma enquete
levantada na página do Facebook do jornal da capital Via Rondônia, perguntou aos internautas: Se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para prefeito?

As duas opções colocadas na enquete foi o último prefeito de Porto Velho, Mauro Nazif (PSB), e o atual prefeito Hildon Chaves (PSDB). Acontece que circulam na rede registros de servidores comissionados da prefeitura de Porto Velho fazendo propaganda da enquete em prol de Chaves em grupos de aplicativos de mensagens.

Poder político
Em uma das mensagens repassadas um servidor de Hildon coloca seus pares contra a parede e afirma que essa
mobilização dos comissionados já seria uma espécie de termômetro para avaliar o “engajamento” dos comissionados
nas redes sociais, resumindo, se a conversa for verdadeira, constata-se que servidores pagos com o dinheiro do cidadão de Porto Velho tem como uma das funções de seu trabalho mobilizar em defesa do nome do prefeito no Facebook, Instagram, WhatsApp, entre outras redes sociais.


“Vote, por favor, pois estamos perdendo nessa primeira enquete, que está servindo como base para avaliarmos o
engajamento dos comissionados nas redes sociais”, dizia a mensagem de um servidor de Chaves pelo WhatsApp.

Nem servidores do primeiro escalão escapam dessa “missão”, na própria página da enquete é possível ll ler comentários de secretários municipais elogiando a competência de Chaves.

Servidores do primeiro escalão elogiando a gestão de Chaves nos comentários da enquete

Caso semelhante
O prefeito Hildon Chaves é arrolado em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral – AIJE, que entre outras coisas, apura conversas que teriam sido realizadas em um grupo de WhatsApp denominado “Grupo de Planejamento”, isso durante o pleito majoritário de 2018.

Após a Ação Cautelar n. 0601657-77.2018.6.22.0000 solicitada pelo MPF, foram apreendidos celulares e computadores de pessoas ligadas ao prefeito de Porto Velho, sendo que nas investigações chegaram a esse grupo de WhatsApp que supostamente mostrava que Chaves utilizou a máquina pública para benefício de seus aliados politico, as investigações seguem em andamento.

De acordo com as peças jurídicas da ação, o “Grupo de Planejamento”, era composto por todos os secretários municipais e o próprio prefeito Hildon Chaves. Cabia a esse grupo a gestão e organização de diversos pontos da campanha de Expedito Júnior ao governo de Rondônia.

Mesmo com todo o empenho, o deputado federal Mauro Nazif venceu a enquete contra Chaves com 52% de preferência.

Fonte: Rondoniaovivo


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email