Preso por estupro de garoto de 16 anos é solto por falta de provas

Brasil - quinta-feira, 25/07/2019 às 16h08min
Preso por estupro de garoto de 16 anos é solto por falta de provas

Waldeir Pinto de Moura, de 27 anos, acusado de ter estuprado e ameaçado um garoto de 16 anos, foi solto pela Polícia Judiciária Civil (PJC), por falta de provas, no mesmo dia de sua prisão, na última segunda-feira (22). O acusado tinha sido preso no bairro Jardim Industriário II, em Cuiabá. Contra ele constam ainda outras 10 denúncias de vítimas menores de idade que o acusam de assédio e estupro. Entenda o caso!

“Na ocasião da condução desse suspeito à Central de Flagrantes, não houve autuação pelo fato de não haver elementos para prisão em flagrante. Ele foi ouvido e liberado”, explicou a PJC.

O caso foi encaminhado à Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica). Diante da nova denúncia contra Waldeir, sobre a ameaça, assédio e estupro praticado contra o suspeito Waldeir Pinto de Moura, o menor, unidade instaurou novo inquérito policial contra ele.

Entenda melhor

Waldeir já havia sido preso em setembro de 2018, por aliciar crianças. Segundo a PJC, ele é acusado de aliciar e estuprar pelo menos 10 menores de idade.

Em todos os casos foi apontado que Waldeir usa contas falsas na rede social Facebook, inclusive com fotos de garotas, para aliciar as vítimas pedindo fotos e marcando encontros.

As providências investigativas dessa nova vítima e possíveis outras estão sendo adotadas pela unidade. O adolescente estuprado já foi ouvido pela equipe psicossocial da Delegacia.

O Caso

Familiares relataram que a relação entre vítima e agressor era de amizade, até então. No local do fato, o garoto disse que vinha sendo estuprado e espancado pelo agressor há seis meses.

Ele também relata que foi ameaçado de morte, assim como seus familiares. A mãe da vítima disse que o filho teria tentado suicídio duas vezes nesse período.

Segundo uma irmã da vítima, no dia da prisão, o agressor ligou várias vezes para o celular dela insistindo que queria falar com o adolescente. Após não conseguir, ele foi até a casa da vítima e gritou várias vezes para que o garoto saísse do local.

Fonte: Reporter MT


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email