Para aliados, negativa dos EUA ao Brasil na OCDE dificulta aprovação de Eduardo para embaixada

Política - sexta-feira, 11/10/2019 às 09h55min
Para aliados, negativa dos EUA ao Brasil na OCDE dificulta aprovação de Eduardo para embaixada
Para aliados, negativa dos EUA ao Brasil na OCDE dificulta aprovação de Eduardo para embaixada

O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), disse ao blog nesta sexta-feira (11) que a negativa dos Estados Unidos (EUA) de endossar neste momento a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) “dificulta” a aprovação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para assumir a embaixada do Brasil em Washington.

Os EUA ainda não oficializaram o apoio à candidatura do Brasil para ingressar na OCDE, priorizando Argentina e Romênia.

Para o senador Major Olímpio, com o posicionamento dos EUA sobre o Brasil na OCDE, a “sinalização” é a de que “hoje, aprovar Eduardo Bolsonaro seria para atender a um interesse pessoal do presidente”.

“Vejo com muita dificuldade a aprovação. Converso muito nos bastidores, já estava complicado. Mas, hoje, com a negativa da OCDE, aprovar Eduardo seria para atender a um interesse pessoal do presidente”, declarou o senador ao blog. “Foi um revês essa sinalização dos EUA ao governo brasileiro.”

No início de julho deste ano, o presidente Jair Bolsonaro sinalizou a intenção de indicar o filho para assumir a embaixada mas, até o momento, a indicação não foi oficializada. Na ocasião, Bolsonaro disse que o filho tem uma “vivência internacional muito grande” e que já fez intercâmbio nos EUA onde fritou hambúrguer.

Segundo Major Olímpio, a dificuldade também se dá porque enfraquece um dos principais discursos do Planalto: o de que Eduardo Bolsonaro não só tem acesso livre à Casa Branca, como pode ajudar, se embaixador, na aproximação e na relações comercias entre os dois países.

Brasil já está sem embaixada. Por ora, “não altera em nada’ o posto vaga, ao analisar a negativa dos EUA em apoiar a entrada agora do Brasil nos EUA. “Já estamos sem embaixador. Colocá-lo ali ou um cone de trânsito, não muda em nada”.

O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS), defende que a indicação seja enviada o mais rápido possível.

O blog procurou o líder do governo no Senado para avaliar a declaração de Major Olímpio. Para Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), a carta do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, sobre apoio à Argentina e à Romênia, e não ao Brasil, pode ter sido uma “frustração” para alguns mas, depois, as declarações do presidente norte-americano, Donald Trump, amenizaram a repercussão.

Sobre as dificuldades para aprovação de Eduardo, o líder disse não acreditar que “amplie as resistências que já existem” para aprovar Eduardo Bolsonaro. “Vai ser um argumento a mais para quem já era contra”, disse.

Perguntado se o presidente vai manter a indicação, mesmo após a negativa à OCDE, Bezerra disse que não falou com o presidente a respeito disso.

Segundo o senador, a última informação que tinha era a de que a indicação seria enviada após a votação da reforma da Previdência no Senado. A votação do segundo turno está prevista para o próximo dia 22.

Fonte: G1


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email

%d blogueiros gostam disto: