Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021

Mulher grávida é queimada viva após se recusar a abortar o bebê do amante

Brasil - sexta-feira, 06/11/2020 às 14h43min
Mulher grávida é queimada viva após se recusar a abortar o bebê do amante
Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.

Uma mulher grávida, de 24 anos, foi assassinada em São Paulo, no Brasil, por ter alegadamente recusado fazer um aborto. Ellen da Silva foi amarrada e queimada viva aos quatro meses de gravidez pelo pai da criança.

Ely da Silva, familiar de Ellen, também foi encontrado carbonizado dentro do carro onde se encontravam quando foram atacados.

A polícia deteve três homens, de 19, 35 e 38 anos, bem como uma mulher, de 36, por ligações ao crime.

O jovem de 19 anos e a mulher confessaram o crime, tendo os outros dois homens negado qualquer envolvimento no caso. Contudo, a polícia acredita que o homicida é o homem de 38 anos.

De acordo com Paulo de Tarso, agente policial, o crime foi premeditado.

“Um dos suspeitos até esteve com a mãe da vítima para a consolar depois de a morte ter sido confirmada. Outro aspeto é que Ellen recusou fazer um aborto depois da conceção num caso extraconjugal”, relatou o polícia.

A polícia está a investigar se se trata de um crime com motivações de vingança, passional ou relacionado com droga.

Fonte: RecordTV
Imagem .GIF que ilustra campanha publicitária do Governo de Rondônia ao combate contra o Coronavírus.


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email

Banner publicitário Doutor Potência