Após chamar manifestante de ‘vagabundo’, Doria se desculpa em vídeo: ‘Acabei me excedendo’

Brasil - quinta-feira, 17/10/2019 às 10h10min
Após chamar manifestante de ‘vagabundo’, Doria se desculpa em vídeo: ‘Acabei me excedendo’
Após chamar manifestante de 'vagabundo', Doria se desculpa em vídeo.jpg

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), usou as redes sociais, nesta quarta-feira (16), para se desculpar por ter chamado manifestantes de “vagabundos” e “canalhas” durante um evento em Taubaté, no interior, na terça-feira (15) (veja o vídeo abaixo). No vídeo publicado em seu perfil oficial, ele disse foi “vítima de uma operação orquestrada por uma turma de baderneiros”.

“Acabei me excedendo e respondi à altura que naquele momento exigia”, afirmou.

Doria participou do evento na cidade de Taubaté e, enquanto discursava, foi chamado de “mentiroso” e “Pinóquio” pelos manifestantes, que usavam microfone e uma caixa de som. Doria rebateu e pediu vaias ao grupo e fez críticas diretas ao senador Major Olimpio (PSL).

“Povo trabalhador, levante o seu braço, mostre que você trabalha, mostre que você gosta de Taubaté. Mostre aqui para esses vagabundos que não têm o que fazer que quem tem o que fazer tem o direito de se divertir. Tem o direito a usufruir a sua vida em paz e tranquilidade. Vai cobrar do Major Olimpio os seus ‘duzentinho’ (sic) para vir aqui falar bobagem no microfone. Vai para casa aposentado, vai para casa amigo”, disse o governador na terça-feira.

No vídeo publicado nesta quarta-feira, o governador diz que foi “hostilizado por esse pequeno grupo que tentava me impedir de falar, gritando ofensas durante todo o tempo.”

“A minha manifestação não foi para ofender ninguém, nenhuma classe, principalmente de aposentados. Eu reagi, sim, para responder aquele pequeno grupo de baderneiros que ali estavam, com uma minoria que torce contra.”

Na segunda-feira (14), Doria participou de um evento com a Polícia Militar e com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e foi vaiado. Na ocasião, ele disse que a manifestação foi orquestrada.

“O nosso Olimpio [senador Major Olimpio, do PSL], o major Mecca [deputado estadual pelo PSL] e Gil Diniz [PSL], com um conjunto de pessoas, montaram uma operação exatamente no sentido de criar constrangimento ao governador de São Paulo”, afirmou Doria.

O que disse o governador

“Pessoal, com a consciência de quem começou a trabalhar aos 13 anos de idade para ajudar a minha mãe a comprar comida e a pagar a conta de luz da nossa casa e com a história de quem assumiu o governo de São Paulo e doa mensalmente todos os meus salários para o terceiro setor, eu quero dizer que ontem [terça-feira (15)], infelizmente, fui vítima de uma operação orquestrada por uma turma de baderneiros, de perturbadores, que não têm apreço pela verdade, pela justiça e pela boa educação. Eu fui à uma solenidade em Taubaté e lá fui hostilizado por esse pequeno grupo que tentava me impedir de falar, gritando ofensas durante todo o tempo contra mim. E ontem, confesso, eu acabei me excedendo e respondi à altura que naquele momento exigia, sem pensar que também ali haviam outras pessoas que nada tinham a ver com o grupo de baderneiros que ali estavam. Pessoas que estavam ali para se divertir ao lado dos seus familiares e filhos. Portanto, a essas pessoas, e aos aposentados, eu peço desculpas. A minha manifestação não foi para ofender ninguém, nenhuma classe, principalmente de aposentados. Eu reagi, sim, para responder aquele pequeno grupo de baderneiros que ali estavam, com uma minoria que torce contra, mas eu vou continuar trabalhando, vou continuar fazendo aquilo que sempre fiz ao longo da minha vida, produzindo, criando e agora, no governo, ajudando a criar oportunidades para os brasileiros que vivem em São Paulo. Oportunidades de trabalho e oportunidade de uma vida melhor. Aos arruaceiros, a minha distância e o meu repúdio. Aos aposentados, às pessoas de bem, a essas sim, o meu respeito e a minha admiração.”

Fonte: G1


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email