Segunda-Feira, 06 de Dezembro de 2021

Segunda Dose de Dezembro

Loja de materiais de construção é alvo de ação da Delegacia do Consumidor

Polícia - terça-feira, 16/11/2021 às 14h18min
Loja de materiais de construção é alvo de ação da Delegacia do Consumidor
Foto: Ilustrativa

Segunda Dose de Dezembro

A Polícia Judiciária Civil, por intermédio da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor – DECON/RO continua atenta na defesa dos consumidores e alerta a população portovelhense a respeito de um golpe que uma empresa de construção civil localizada no bairro Caladinho que vem aplicando em diversos em consumidores da zona sul de Porto Velho.

A empresa já tinha um bom tempo no ramo de venda de materiais para construção e já tinha certa credibilidade com os seus clientes.

 

Ocorre que a partir do mês de outubro desse ano, passou a inserir inúmeros anúncios de promoções em sua página de rede social com preços muito abaixo dos preços praticados pelo mercado de construção civil, especialmente materiais básicos tais como: cimento, ferro, telha, tijolos, areia e etc.

Assim, a empresa atraiu a atenção de muitos consumidores com a promessa de preços muito baixos. O detalhe que chamou atenção é que essas promoções eram válidas apenas para pagamentos a vista ou PIX. E os produtos não foram entregues aos consumidores.

A delegada de Polícia Civil Dra Noelle Caroline Xavier Ribas Leite, titular da DECON/RO, afirma que a Polícia Civil está vigilante com relação às fraudes contra os consumidores.

Segunda Dose de Dezembro

“No caso dessa empresa os valores do golpe já ultrapassam 100 mil reais, até o momento e todos os dias novas ocorrências policiais são registradas e os números vêm só aumentando”.

Afirma ainda, que tão logo a delegacia tomou conhecimento dos fatos, imediatamente, se iniciaram as investigações para localizar os proprietários e evitar que novos consumidores fossem lesados.

Numa ação rápida e eficiente da Polícia Civil, os proprietários da empresa foram localizados, apresentados na Delegacia do Consumidor e indiciados na forma da lei.

Que o Inquérito Policial será relatado dentro do prazo de 30 dias e os proprietários serão julgados pelo Ministério Público onde poderão ser condenados ou absorvidos.

A delegada orienta aos consumidores lesados pelo golpe que procurem uma Delegacia de Polícia Civil mais próxima de sua casa para fazer o registro de Ocorrência policial.

As denúncias deverão ser encaminhas para Disque denúncia 191 da Polícia Civil ou para o whatssap para denúncia da PC/69 – 98418-7820 ou também para 151 do Procon.

 

Segunda Dose de Dezembro

Fonte: ASSESSORIA PC


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email

Banner publicitário Doutor Potência