Segunda-Feira, 25 de Maio de 2020

Justiça condena dois e absolve cinco acusados do latrocínio ocorrido no bairro Aponiã

Polícia - quarta-feira, 08/04/2020 às 15h02min
Justiça condena dois e absolve cinco acusados do latrocínio ocorrido no bairro Aponiã
Coronavírus - Governo de Rondônia

Porto Velho, RO – O juízo da 2ª Vara Criminal de Porto Velho condenou Adônis Dias Guimarães e Carlos Nascimento Mendes, vulgo Carlinhos, e absolveu outros cinco acusados, pelo assalto seguido de morte (latrocínio consumado) de Ery Monteiro de Brito, encontrado morto com as mãos e os pés amarrados, em sua residência, na rua Canto Grande, no bairro Aponiã, zona Leste de Porto Velho, na madrugada do 9 de outubro do ano passado.

Adônis e Carlinhos foram condenados a 22 anos de prisão no regime fechado. Adônis já foi condenado irrecorrivelmente por crimes de desobediência, embriaguez na direção de veículo automotor e lesão corporal no âmbito doméstico e familiar em outros processos e Carlinhos por assalto. A vítima tinha relacionamento com Adônis, que teria se aproveitado disso para praticar o crime, após ingerirem bebidas alcóolicas e usarem drogas.

PRISÃO

Os acusados forma presos dois dias após o crime. Segundo a Polícia Civil, câmaras de segurança filmaram toda a movimentação da dupla na casa da vítima que foi morta por asfixia. A perícia identificou no local as digitais dos dois e os policiais conseguiram recuperar o aparelho de som e o televisor que foram roubados de Ery Monteiro.

Em depoimento, Adônis e Carlinhos admitiram que roubaram os objetos mediante violência. Carlinhos deu uma gravata na vítima e adônis a asfixiou com um travesseiro no rosto para que ´parasse de fazer barulho´. Carlinhos disse que foi convidado por Adônis para ir até a casa da vítima e que os objetos roubados seriam trocados por droga.

O mais chocante na história, além da morte cruel da vítima é que Adônis admitiu que Ery o ajudava com moradia e outras despesas de sua manutenção. Nem por isso teve o devido reconhecimento e matou a pessoa que o ajudava, sem se importar com o sofrimento da vítima, a dor provocada em amigos, e familiares.

Segundo testemunhas, Adônis já havia ameaçado Ery de morte em várias ocasiões para roubar-lhe o aparelho de som e trocar por drogas.

Os outros cinco absolvidos foram o taxista que transportou os acusados e os objetos roubados da vítima até o bairro Costa Silva, onde forma vendidos, e também as pessoas que compraram esses objetos ´de boa fé´. São eles: Rodrigo Ferreira de Souza, Marciclei Costa Queiroz, Nilton Damasceno de Andrade, Pedro Alfonzo Flores Atagua, Anderson dos Santos Soares.

Fonte: O Observador


Seja o primeiro a colaborar

Deixe seu comentário!

Informe seu nome
Informe seu email